Viver de aluguel: as vantagens de investir em imóveis

Investir em imóveis oferece ótimas vantagens, entre elas, alto valor agregado e benefícios fiscais. Faça seu dinheiro trabalhar por você.

 

Todo investidor de sucesso sabe como é importante diversificar os investimentos. Com diferentes aplicações, as chances de risco são mitigadas, garantindo uma boa rentabilidade a médio e longo prazo.

Nesse contexto, investir em imóveis é sempre uma ótima opção. Tanto é que muitas pessoas vivem da renda do aluguel.  

O momento é propício: ao que tudo indica o mercado imobiliário vai voltar a crescer em 2020. De acordo com o Secovi, as vendas de imóveis residenciais aumentou 19,4% entre julho de 2018 e maio de 2019. 

 

Vantagens de investir em imóveis

Ao contrário de outros investimentos, a flutuação de preço dos imóveis é muito menor, o que torna essa opção especialmente atrativa para investidores com perfil conservador.

Entre as principais vantagens de investir em imóveis temos:

 

Baixa volatilidade

Enquanto no mercado de valores você fica entre “ou tudo ou nada”, no mercado imobiliário o cenário é bem mais tranquilo. 

Mesmo em períodos de recessão é praticamente impossível que o imóvel perca seu valor com o passar do tempo.

 

Alta procura

Mais de 12 milhões de brasileiros moram de aluguel. Os números, divulgados pelo IBGE esse ano, revelam um aumento de 5,3% entre 2017 e 2018. 

Essa mudança de cenário representa uma boa oportunidade para quem pretende investir em imóveis e viver da renda de aluguel. 

 

Alto valor agregado

Um apartamento, uma casa ou mesmo um terreno serão cada vez mais valorizados com o passar do tempo. Isso não acontece com outros tipos de investimento, que ficam a mercê das variações do mercado.

Contudo, vale lembrar que a documentação precisa estar em dia para evitar surpresas futuras. 

Além disso, é interessante reinvestir uma parte da renda em manutenções, a fim de manter uma boa infraestrutura no imóvel. Essa prática melhora a qualidade do investimento, possibilitando maiores ganhos. 

 

Benefícios fiscais

Todo investimento imobiliário vem com ótimos benefícios fiscais, entre eles deduções com:

 

  • juros de hipotecas;
  • despesas operacionais;
  • seguro;
  • depreciação.

 

Aliás, você sabia que, para quem vende um imóvel residencial, há isenção de Imposto de Renda se a pessoa usar todo valor da venda na compra de outro imóvel, também residencial, em até 180 dias? 

A isenção de IR também se aplica caso o valor da venda seja de até R$440 mil, ainda que não seja realizada nenhuma aquisição em seguida. A condição, todavia, é de que o proprietário não tenha vendido outro imóvel nos últimos 5 anos. 

 

Fonte de renda para toda a vida

Isso mesmo! Investir em imóveis é uma fonte de renda de longo prazo. Os riscos são baixíssimos e é você quem está no comando.

Com a ajuda de uma consultoria de imóveis, você poderá gerir o seu investimento, assim como encontrar novas oportunidades de mercado no negócio. 

 

2017 é um bom ano para investir em imóveis?

2017 é um bom ano para investir em imóveis?

O mercado imobiliário brasileiro passou por fortes mudanças nos últimos anos, influenciado, principalmente, pelo instável cenário político e econômico. Porém, segundo os especialistas, 2017 promete ser um bom ano para quem pretende fazer investimentos – ainda se mais se forem de longo prazo.

 

Há 2 anos, a economia brasileira trabalhava com uma inflação de 10,7%. Para 2017, o mercado espera algo em torno de 5%, enquanto o Banco Central busca atingir a meta de 4,5%. Com a queda da inflação, o Governo pode trabalhar com juros mais baixos – aliás, em janeiro os bancos anunciaram cortes nas taxas de juros, em função da redução da taxa Selic.

 

O Banco do Brasil foi a agência que apresentou a maior redução: 4 pontos percentuais no rotativo do cartão de crédito. A Caixa Econômica anunciou uma redução de até 0,25% para todas as linhas. Você pode conferir a relação dos demais bancos neste post do G1.

 

Outro ponto positivo é o aumento do PIB. Em 2015 tivemos uma queda de 3,5% neste índice e as previsões indicam que, ainda este ano, devemos sair do vermelho com um crescimento de 1,3%, de acordo com o FMI e com o Banco Central.

 

Em relação ao mercado imobiliário, em agosto de 2016 já sentimos melhoras: segundo a Abrainc (Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias) e do Creci (Conselho Regional de Corretores de Imóveis), as 19 maiores incorporadoras do país obtiveram um aumento de 1,4% nas vendas em relação ao mês anterior. Em setembro do mesmo ano, o Índice de Confiança da Construção (ICST) subiu 2,1 pontos, atingindo 74,6 pontos –  o maior nível desde junho de 2015.

 

Com a melhora do mercado os estoques devem cair em 2017. Por isso, o consumidor deve ficar atento às oportunidades: enquanto os bancos apresentam cortes nas taxas de juros das linhas de crédito, a maioria das incorporadoras estão abertas para negociar as condições de pagamento.

 

Estas novidades são um tanto quanto animadoras, não? Mas, pode ser que, ainda assim, você tenha algumas dúvidas: será que eu você vai dar conta do financiamento? Como usar seu FGTS para comprar um imóvel? O que vale mais a pena, adquirir um apartamento na planta ou pronto para morar? E que cuidados um investidor de imóveis deve tomar?

 

Todas estas perguntas foram respondidas em conteúdos exclusivos aqui no nosso blog. Caso você precise de mais algum esclarecimento, conte conosco! Será um prazer te ajudar.

 

Aproveite para conhecer o Edifício Costa da Bretanha, nosso empreendimento mais recente, que está sendo construído no bairro Saguaçu, um dos melhores bairros de Joinville.

10 erros letais que os investidores de imóveis cometem

A atual crise econômica influenciou o mercado imobiliário e trouxe com ela novas oportunidades de negócio: os preços caíram ou se mantiveram estáveis, as condições de pagamento se tornaram mais flexíveis e há um bom volume de produtos disponíveis. Com isso, investir em imóveis se torna uma ideia cada vez mais atraente, mas, como tudo o que envolve dinheiro, há um caminho certo e um caminho errado.

A Bankrate listou os 10 principais erros que os investidores de imóveis cometem. Armadilhas que podem, inclusive, ser letais. São eles:

1. Falta de planejamento
Este é um dos erros mais cometidos pelos investidores, principalmente iniciantes e inexperientes. Nunca compre um imóvel sem antes saber o que você irá fazer com ele. Primeiro faça um planejamento detalhado, pense a longo prazo, pesquise opções, converse com especialistas e só então parta para o contrato. Neste post trouxemos dicas valiosas com 5 atitudes de todo investidor imobiliário de sucesso.

 
2. Achar que vai ganhar dinheiro rápido
Comprar um imóvel para alugar ou para vender no futuro é um investimento de baixo risco e de longo prazo. Por este mesmo motivo é preciso paciência para obter o retorno desejado.

 
3. Bancar o MacGyver
A menos que você seja um investidor experiente, investir em imóveis sem a ajuda de outros profissionais pode ser perigoso! Monte o seu time com pelo menos um consultor imobiliário, um avaliador, um advogado e um credor, tanto para a compra quanto para a venda de um imóvel.

 
4. Investir mais do que recebe
Outro motivo que leva os investidores ao fracasso é comprometer demais a sua renda na compra de um imóvel. O ideal é que o financiamento não ultrapasse 30% da renda mensal, do contrário, corre-se o risco de tornar-se insustentável.

 
5. Não fazer o dever de casa
Depois de planejar, analisar opções e fechar negócio, muitos investidores deixam de acompanhar o investimento. Eles não fazem manutenções, não estudam o mercado, não se atualizam. Simplesmente largam a casa ou o apartamento na imobiliária e esperam que a corretora faça todo o serviço. Mas não é bem assim. Se você quer ser um investidor de sucesso neste ramo precisa estar informado, atento as novidades do mercado, agendar reuniões mensais com o seu time para buscar melhorias e caminhar lado a lado.

 

6. Não ter agilidade
Investidores novatos podem fechar negócio sem muita pesquisa e sem formar um time completo. Mais para frente, quando o imóvel precisar de acompanhamento, isto poderá se tornar um problema e seu tempo de resposta será muito mais lento.

 
7. Investir em uma única opção
Se você está trabalhando com um único imóvel e este é o seu único tipo de investimento, você está fazendo transações e não negócios. Você precisa de um volume suficiente de investimentos para avaliá-los, compará-los,  eliminar as opções que não são tão boas e prosperar com aquelas que dão mais retorno. Faça o seu dinheiro trabalhar por você.

 
8. Interpretar mal o fluxo de caixa.
Se a sua estratégia é comprar, manter e alugar imóveis, você precisa de um fluxo de caixa que seja suficiente para cobrir as manutenções. Avalie também as taxas cobradas pelas consultoras, os impostos, o seguro, custos com divulgação, condomínio, reformas…

 
9. Ter apenas um plano
Muitos investidores adquirem um imóvel sem ter um plano B, um plano C ou até um plano D. Você precisa de duas ou mais maneiras de sair de qualquer negócio se, porventura, ele deixar de ser vantajoso em algum momento.

 
10. Expectativas erradas
Com uma equipe de profissionais ao seu lado e com um bom planejamento, as chances do seu investimento não corresponder as suas expectativas são bem menores. Como dissemos no item 5, não deixe de fazer a lição de casa: estude, pesquise e busque a opinião de outras pessoas do ramo.

 
A Thora Torresani possui um novo empreendimento no Saguaçu, um bairro nobre em Joinville. São apartamentos de alto padrão, a partir de 146m² com 2 ou 3 suítes e 2 ou 3 vagas de garagem. O edifício, chamado de Costa da Bretanha, possui apenas 8 unidades e as obras já foram iniciadas.  Clique aqui e veja mais detalhes. Se você está pensando em investir num imóvel, vale a pena conversar com nossos consultores: (47) 3481-5555.

ENTRE EM CONTATO

O nosso lar traduz quem nós somos. Se você se interessou por um de nossos empreendimentos, preencha o formulário que, em breve, entraremos em contato.